Prolactina

A prolactina é um hormônio produzido pela hipófise, responsável pelo aleitamento no período pós-parto. Para tanto, este hormônio exibe uma característica muito peculiar: sua secreção é sempre inibida, exceto no período da gestação.

Caso haja uma produção excessiva de prolactina em outras situações, uma série de alterações podem ser observadas. A hiperprolactinemia, no sexo feminino, pode determinar:

  • a irregularidade ou ausência de menstruação (amenorréia)
  • produção anormal de leite (galactorréia)
  • infertilidade
  • presença excessiva de pêlos (hirsutismo).

Já no sexo masculino, pode ocorrer:

  • impotência sexual
  • perda da libido
  • Galactorréia e o surgimento de mamas (ginecomastia) podem se fazer presente, mais raramente.

O aumento da prolactina pode ocorrer em situações esperadas (fisiológicas), ou não. Dentre as causas fisiológicas pode-se citar a gravidez e a amamentação. Mais ainda, esse hormônio também se eleva com o sono, estresse e atividade física. A causa mais frequente de hiperprolactinemia, sem que haja uma doença de base, é o uso de medicamentos, como estrógenos, morfina, heroína, cocaína e fluoxetina. Já a presença de um tumor na hipófise produtor de prolactina (prolactinoma) é a principal causa patológica. Deve-se determinar a causa para implementar o tratamento adequado e evitar uma série de alterações no funcionamento do organismo.