Menopausa

A menopausa é uma fase natural da vida das mulheres, que assinala a transição de um estado reprodutivo para um não reprodutivo. Marca-se, portanto, a perda progressiva da função ovariana, com a diminuição paulatina da produção dos hormônios estrogênio e progesterona. Com a redução desses hormônios, sobretudo o estrogênio, há a ocorrência de diversos sintomas não muito bem tolerados, que fazem dessa etapa alvo de insatisfação por muitas pacientes.

Os principais sintomas característicos da menopausa começam a acontecer entre 45 e 55 anos. São eles:

  • Instabilidade vasomotora (calores ou “fogacho”)
  • Ressecamento vaginal, redução da libido
  • Irritabilidade, depressão
  • Perda da tonicidade da pele
  • Diminuição do tamanho do útero e seios
  • Osteoporose
  • Alterações cardiovasculares

Há pacientes que se beneficiam bastante do tratamento de reposição hormonal (TRH), com alívio desses sintomas. O tratamento é geralmente realizado com dosagens relativamente baixas de estrógenos, por via oral, adesivos ou gel, associados ou não a progesterona. Porém, há riscos associados com a terapia de reposição hormonal, devendo-se observar cada caso e particularizar cada situação. De fato, há até mesmo contraindicações para se fazer a terapia de reposição hormonal, como a presença de Câncer de mama ou endométrio e tromboembolismo.

As contraindicações podem ser divididas em dois subgrupos: absolutas ou relativas. Consolidam-se como absolutas as pacientes portadoras de câncer estrogênio -dependente (mama e endométrio), fenômenos tromboembólicos e hepatopatias. Constituem contraindicações nas pacientes com risco de câncer de mama e endométrio, miomas uterinos, endometriose, colelitíase.

Em síntese, a TRH deve ser instituída em toda mulher na qual o benefício do alívio dos sintomas do climatério supere os riscos em curtos períodos de tempo.